Destaque na Mídia

'Corrupção se combate antes de ocorrer'

Escrito por Thiago Copetti, publicado no Jornal do Comércio de 9|01|2017 | 09 de Jan às 12:45
Amauri Perusso preside a Federação das Entidades dos Servidores dos Tribunais de Contas do Brasil

Leia a entrevista com o presidente da Fenastc, Amauri Perusso, publicado no Jornal do Comércio de hoje 09|01|2017. Convidado a falar na comissão parlamentar formada na Câmara dos Deputados para analisar o Projeto de Lei nº 4.850/16, conhecido como Dez medidas contra a corrupção, o presidente da Federação das Entidades dos Servidores dos Tribunais de Contas do Brasil (Fenastc), Amauri Perusso, afirma que a grande ocorrência de casos de corrupção no País aponta para falha no controles feitos pelos Tribunais de Contas.

 
Destaque na Mídia

Nova renegociação da dívida ‘deixa o Rio Grande do Sul de joelhos diante da União’

Escrito por Sul 21, publicado no dia 16|12|2016 | 27 de Dez às 12:31
Reunião com governadores incluiu presidente da República e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles

Na última quarta-feira, o governador José Ivo Sartori (PMDB) participou em Brasília de uma reunião com o presidente Michel Temer (PMDB) e os governadores do Rio de Janeiro e Minas Gerais sobre a possibilidade de uma nova renegociação da dívida destes estados, que se encontram em situação de calamidade financeira, com a União. Sartori já sinalizou que tem a intenção de aderir ao novo regime, que vem sendo divulgado como uma oportunidade de sair do sufoco, porém, sem que as contrapartidas às quais o RS estaria aprisionado sejam esmiuçadas. Para Josué Martins, presidente do Centro de Auditores do Estado (Ceape), com o acordo, o Estado “fica de joelhos diante da União”. “Na verdade, está levando o Estado a uma condição de permanente sufoco financeiro”, afirma.

 
Destaque na Mídia

Acordo da dívida: um pequeno alívio e um prolongado arrocho

Escrito por Jornal Já | 20 de Dez às 16:39
Josué Martins, presidente do CEAPE-Sindicato

O projeto de renegociação da dívida dos Estados deve ser votado esta semanana Câmara dos Deputados. Ele já foi aprovado no Senado dia 14, mas como houve mudanças no texto original, ele volta à Câmara para nova votação.